A IDEOLOGIA DO ENGANO: 100 milhões de mortes…!

…E outro tanto de podridão cerebral! O engodo que mata ou aleija!

Ou: “O homem: esse projeto mal-acabado” (J.Koffler, 1976).

           Ser comunista “por convicção” não passa de uma grosseira falácia, pois não há qualquer argumentação (por mais simplória que possa ser) que a sustente; pelo menos, naqueles que possuem meia dúzia de neurônios funcionando e um pouco de civilidade, tirocínio, amor próprio, amor pela pátria, amor pela família, defesa inarredável da propriedade privada e, principalmente, bom senso – algo que as esquerdas desconhecem -. Em suma, ser comunista é bom para os chefetes (“cabeças”) que se beneficiam das mais diversas formas quando sustentados por esse grotesco rótulo (adiante exponho números a este respeito).

THE BLACK BOOK OF COMMUNISMA polêmica obra, “The Black Book of Communism” (“O Livro Negro do Comunismo”), foi considerada um eixo-mestre analítico-informativo das tragédias provocadas pelo comunismo em diversos lugares do planeta. Elaborada por vários autores, estudiosos franceses de reconhecida intelectualidade, foi editada por Stéphane Courtois, e publicada em 1997 na França, e sua versão em inglês, em 1999, pela Harvard University Press, num volume de 850 páginas. A obra contêm ensaios de diferentes países e de diversos autores, e gira em torno a sua principal tese: “o comunismo representa um demônio maior que o Nazismo”.

         As 100 milhões de vítimas do comunismo, foram estimadas pelo editor como sendo assim distribuídas: 65 milhões de mortos na China; 20 milhões na antiga União Soviética; 2 milhões em Cambodja e Coreia do Norte, cada uma; 1,7 milhão em África; e um milhão em Vietnã e Leste Europeu, cada uma. Courtois afirma, ainda, que “os métodos introduzidos por Lênin e aperfeiçoados por Stalin, e sua forma, não apenas lembraram os métodos nazistas como os precederam” (COURTOIS, 1997 apud WIENER, 2012:37) [1]. Merece ser lembrado ainda – destaca Courtois – que o total de mortes perpetradas pelos nazistas foi de “apenas” 15 milhões.

           Eventuais exageros à parte, não nos cabe ingressar, neste momento, ao debate e celeuma a respeito de números comparativos; isto pertence a outro tipo de estudo. O que nos interessa é expor a destruição massiva que uma “ideologia” (neste particular caso, o comunismo) pode causar, ademais de comprovar os contrassensos que levitam em seu meio, tornando-a a grande mentira do milênio. É o que se pretende provar neste singelo artigo.

           Uma das provas irrefutáveis do que se afirma encontra-se nos próprios “chefetes” desse asqueroso e criminoso movimento ideológico: todos os que se dizem “líderes” do mesmo chafurdam em benesses mis (onde quer que existam no planeta), enquanto desfrutam ostensivamente das “mordomias” que o capitalismo lhes provê. Um claro e inquestionável paradoxo, certamente. É o clássico “façam o que digo, mas não façam o que eu faço”. Não existe ditado mais perfeito do que este, para expressar a grande mentira que o comunismo encerra. Desejam exemplos? Vamos lá:

Vladimir Putin (presidente da Rússia) é o homem mais poderoso do planeta. Segundo a famosa Revista Forbes , Pelo quarto ano consecutivo, o presidente da RússiaVladimir Putin, foi considerado o homem mais poderoso do mundo. Putin ficou na frente do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, e da chanceler federal alemã, Angela Merkel”. Sua fortuna, segundo reportagem da CNN, ascende à fantástica cifra de US$ 200 bilhões! [2]

Os irmãos Castro (Fidel e Raul) (ex e atual ditador de Cuba há quase 70 anos), já no ano de 2005 contabilizavam fortuna superior a US$ 900 milhões (!!!), bem acima das ostentadas pelas Rainha Isabel (Inglaterra) e Rainha Beatriz (Holanda). [2]

Hugo Chávez Farías (ex-presidente da Venezuela), já falecido, possuía uma fortuna da ordem dos US$ 500 milhões, 17 fazendas, frotas de veículos luxuosos, e contas no exterior que totalizavam US$ 200 milhões. [2]

Nicolás Maduro, originalmente de profissão motorista – primeiro de ônibus escolar e, à época de Chávez, de limusine (foi motorista do próprio Hugo Chávez) -, desde que assumiu torra, junto com as filhas de Chávez (“afilhadas” dele) a impressionante quantia de US$ 2 a US$ 3 milhões por dia (seria por mês?). Segundo o FBI, que procedeu a um rastreamento dos bens de Maduro (em razão da sua íntima ligação com o tráfico de entorpecentes), sua fortuna ultrapassa os US$ 20 bilhões! [3]

Lula da Silva, originalmente um retirante paupérrimo natural de Pernambuco, de família extremamente pobre, este senhor (por duas vezes presidente do Brasil), semi-analfabeto, sindicalista metalúrgico de profissão, teve sua fortuna estimada pela revista Forbes (2006) em nada menos que US$ 2 bilhões [4], mas a própria revista desmentiu tal informação. Há indicativos da Receita Federal brasileira de que Lula teria declarado em sua última prestação de contas ao Fisco, um valor de R$ 9 milhões – lógico que sem considerar os imóveis que possui, mas que não estão no seu nome ou, ainda, os valores depositados em nome de terceiros no exterior -. O certo é que, se considerado o patrimônio dele (mas em nome de terceiros), ele teria uma fortuna próxima aos R$ 35 milhões. O interessante é que nenhum órgão fiscal pátrio teve a coragem de pesquisar e levantar sua verdadeira fortuna, somando os valores aqui registrados, mais os colocados em nome de terceiros, mais os que constam em outros nomes no exterior, mas que pertencem a ele. Um número, em suma, que provavelmente nunca se terá totalmente esclarecido.

          Para encurtar a conversa – que seria longa e desgastante se fossemos detalhar as absurdas mordomiascapitalistas dos pretensos e “coitados”líderes comunistas ao redor do mundo -, lembremos a própria história do mentor-mor do comunismo, Karl Marx. O blogger espanhol, Isaac Parejo [5], em seu artigo “Ricos e comunistas”, lembra-nos que o autor das duas “obras primas”  (sic) que fundamentam a ideologia comunista (“O Capital” e “O manifesto comunista”), Karl Marx, era de família abastada (seu pai era um famoso advogado) e frequentou a universidade (que naquele então era acessível apenas aos membros da alta classe financeira e social, tendo recebido como herança todos os bens da família), dilapidando sua herança em pouco tempo. “Nunca visitou uma fábrica, nunca trabalhou, nunca foi um proletário daqueles aos que dedicou suas obras”, afirma Parejo. Belo paradoxo e belo exemplo para os milhões que hoje se curvam a ele (Marx), sua deletéria teoria e seus cegos (ou capciosos) seguidores, como se fosse um santo – só se um “santo do pau oco” -.

            Não vamos perder nosso precioso tempo para aprofundar este tema. O que queremos é chamar a atenção para o absurdo paradoxo da defesa do comunismo como ideal social, quando em realidade (historicamente falando e em âmbito mundial) é a mais grosseira, descarada e desavergonhada falácia, desde seus primeiros passos com sua “criação”  por um indivíduo (Marx) que NUNCA trabalhou, vivia de favores (um verdadeiro sanguessuga social e bon vivant) e nada deixou que prestasse para ser ensinado ao mundo – pois sua ideologia (sic) comunista é o mais grotesco, criminoso e asqueroso engodo sem precedentes na história humana, que já ceifou a vida de mais de 100 milhões de pessoas, direta e/ou indiretamente!

INDICADORES DO GOVERNO PETISTA

           O legado até agora “doado” pelo governo petista à sociedade brasileira é, sem dúvida, algo deveras desastroso, deprimente às raias do criminoso. A partir de 2003, os escândalos (de todas as montas, em todos os setores sociais e para todos os gostos) são algo incompreensível e bizarro. Principalmente, quando se traz a presente o acervo de discursos torpes e mentirosos, promovidos durante estes longos quatorze anos em que nossa nação experimentou (e assim segue) o mais amargo de todos os remédios (venenos?) azedos.

          Servindo-nos como base informativa um artigo publicado pela BBC Brasil [6], sumarizemos os seis indicadores internacionais e a correspondente posição do Brasil nos mesmos; logo a continuação, nossa análise em base a outras fontes, para cada indicador:

  • Ranking das maiores economias: Da 13ª posição no ranking global das economias (PIB em dólar, Banco Mundial, FMI) em 2002, passamos à 6ª posição em 2011 e caímos para a 9ª em 2016. No segundo mandato do Lula, ingressamos a “uma das mais graves recessões da história do país”, destaca o artigo da BBC-Br. Desde já, é prudente destacar que tais fontes (Banco Mundial, FMI, e outras que irão sendo citadas a seguir) não são dignas de crédito, visto que permitem manipulações “em nome do equilíbrio mundial”.
  • IDH e combate à pobreza: A reportagem em tela afirma que “A nota do Brasil no Índice de Desenvolvimento Humano da ONU, que era de 0,649 no início dos anos 2000, chegou a 0,755 hoje, o que indica uma melhora”. E que tal “melhora” se deveria ao Programa Bolsa Família, pelo qual “5 milhões de brasileiros deixaram a extrema pobreza. E por volta de 2009 o programa havia reduzido a taxa de pobreza em 8 pontos percentuais”. E inda sublinha dita reportagem: “Também é destacado o aumento da escolaridade no país e avanços no combate a miséria, o que vai ao encontro da avaliação de especialistas consultados pela BBC Brasil, que veem nas políticas sociais o maior legado positivo dos 13 anos do PT no poder no Brasil”. Falácias! O programa em foco desvirtuou-se a tal ponto que virou um dos maiores engôdos da história brasileira. Não um controle oficial efetivo nessas informações, o que permite que pessoas até inexistentes sejam beneficiárias do tal “bolsa-família”. É um programa meramente assistencialista, descontrolado, com claro fundamento politiqueiro.
  • Gini – Desigualdade: Numa escala de 0 a 100 (onde 0 representa total igualdade) do Banco Mundial, o Brasil passou de 58,6 em 2002, para 52,9 em 2013 indicando uma leve melhora. Este mesmo indicador, segundo um relatório da ONU de 2014, registrou também uma queda da desigualdade, mas em níveis mais expressivos: de 54,2 para 45,9. Em realidade, é ilusória e capciosa essa “queda” – como, aliás, é o conjunto desses indicadores -. Uma simples observação do âmbito social já expõe a nu as mazelas que acossam a sociedade brasileira (e, por “osmose”, toda a sociedade sul e centro-americana). Em realidade, todo o continente está seriamente infestado do vírus comunista, rezando por uma mesma cartilha. Assim, como seria possível confiar em indicadores ostensivamente manipulados e que apenas “contentam” as frias estatísticas e as populações mais ignaras? Os dados reais, a olho nu, são bem distintas e muito mais escandalosos e depressivos!
  • Percepção da corrução: Em 2002, Brasil “ocupava a 45ª posição do ranking de percepção da corrupção da Transparência Internacional (TI)”. Em 2015, “passamos para o 76º lugar entre 168 países – o que parece indicar estagnação”. Falso! De 2002 ao presente, os índices de corrupção, ostensivamente observados, cresceram em ordem exponencial. A corrupção alastrou-se por todos os segmentos da sociedade, contagiada que foi pelos péssimos e ostensivos exemplos prestados pela classe política e pelos três poderes da República, indistintamente. A corrupção, hoje, campeia solta e contagia toda a sociedade, tendo se constituído em “usos e costumes” do nosso povo! Segue-se, em suma, o velho e surrado axioma popular: “se eles (políticos e autoridades em geral) fazem, por que eu não poderia fazer?”
  • PISA – Educação: Em 2000, o Brasil encontrava-se no último lugar num grupo de 32 nações (OCDE). No último relatório registrado sobre este indicador (2013) e agora com 65 países, o Brasil passou a ocupar uma posição entre os indicadores 50 e 60 (segundo as disciplinas avaliadas), indicando leve avanço em relação a 2000. Nem “leve avanço” seria adjetivo cabível a nossa realidade! A educação do nosso povo, pelo contrário, vem caindo em proporções estrondosas, apontando para gravíssima regressão intelectual. Em todos os nossos níveis educativos (primário, secundário, superior, pós-graduação em sentido amplo), os estândares de qualidade sofreram fortíssima queda, à par em que se deturparam a partir da ascensão do governo de corte petista-comunista, quando degeneraram-se conceitos morais, religiosos e de sexo. Isto é de conhecimento público e notório (que apenas o PISA parece não saber).
  • Ambiente para negócios: Em 2002, Brasil se encontrava na 46ª posição entre 80 países, segundo o índice de competitividade mundial (Word Economic Forum). Em 2015, passou para 75ª posição, mas entre 140 países, apontando para uma queda correspondente a 18 posições. A realidade é bem outra. A situação é mais que crítica. As empresas, premidas pela forte recessão (gerada por altos níveis de desemprego, ausência de dinheiro no mercado, exacerbação de preços, etc.), fecham suas portas uma após a outra; enxugam suas estruturas, reduzem seus índices de lucros, comprometem a qualidade (de produtos e serviços)!
           Qualquer um desses índices apregoados por esses organismos – segundo minha particular avaliação, seguida por muitos outros analistas em diversas áreas (economia, educação, saúde, desenvolvimento econômico, etc.) – é extremamente subjetivo, instável e fragilmente fundamentado. Em termos de análise do relatório em tela, em seu todo, permito-me afirmar que não é confiável e tampouco representa a realidade; mas, se fossemos proceder a uma análise mais profunda e criteriosamente detalhada, este artigo tornar-se-ia um livro, o que não é o caso deste momento (embora vontade haja de sobra). Basta dizer que todos os organismos internacionais aqui citados e que servem de parâmetro para fundamentar tais índices, são geneticamente capciosos, facilmente manipuláveis e – o que é bem pior – infestados de influência política espúria.
           Observem bem: um informe atual (2017) no quesito Taxa de Desemprego, por exemplo, mostra que esta alcançou quase 14%, constituindo-se no maior valor da série histórica, representando nada menos que 14,2 milhões de desempregados (O Globo, Veja, etc.). A “olho nu”, nossa economia é um completo e verdadeiro desastre, e isto é percebido por todo e qualquer cidadão que tenha um mínimo de sensibilidade. Dia a dia, a vida regular da nossa sociedade é cada vez mais difícil de se levar em frente. Façam um exame de consciência e me digam se não tenho razão?
          Mais: essa tal dicotomia ideológica “democracia x comunismo” é outra completa e grosseira falácia. Tanto democratas como comunistas, todos buscam primeiro seu próprio bem-estar e depois, só depois e por último, é que irão se preocupar (se é que irão) com os demais. A grande diferença reside num fator muito simples: enquanto nós, os defensores da democracia, não fazemos questão nenhuma de externar (ou de esconder, se quiserem) nossos desejos de bem-estar, de boa vida, de luxos, de mordomias, etc., os ditos “socialistas ou comunistas” – como queiram, pois são a mesma coisa – privilegiam um discurso meramente teórico de “defesa dos pobres”, de “igualdade entre todos”, de “zelo pelos menos (ou des) privilegiados”, enquanto praticam, às claras, nosso sistema de vida capitalista. Basta observar e facilmente constataremos ao nosso lado indivíduos que discursam em “prol da sociedade”, mas ostentam as benesses daqueles que tanto aparentam odiar ou contestar. O nome disso, simplório, é mentira, enganação, dissimulação, capciosidade, falsidade.
 
A TÍTULO DE ENCERRAMENTO
 
          Não é nenhuma novidade que o mundo caminha célere para um terceiro conflito bélico mundial. O principal motivo para tão sinistro cenário é, sem qualquer dúvida, a degeneração total da espécie humana; seu exacerbado egocentrismo; sua ignorância crescente – a despeito dos grandes avanços tecnológicos -; sua reprodução descontrolada e leviana; a total descaracterização dos valores humanos tradicionais; a banalização dos princípios básicos e históricos de convivência pacífica e ordeira; dentre tantos outros indicadores que hoje praticamente já não mais existem. O que sobrou, em suma, é um grosseiro arremedo do indivíduo humano, como ente racional e inteligente. É o que convencionei em cognominá-lo de homúnculo bizarro. Um ser desprezível, em suma.
          Confesso-lhes que não foi nada fácil chegar a essa triste e deprimente conclusão. Foram mais de cinquenta anos de análises e registros continuados, em diversos cantos deste castigado planeta, observando e anotando, diuturnamente, a deterioração persistente e crescente do homo sapiens em sua deletéria caminhada rumo à destruição – do próprio, das espécies que com ele coabitam e do seu habitat. Algo deveras incompreensível, bizarro, monstruoso. Infelizmente, não há nada nem ninguém que poderá contraditar, solidamente fundamentado, este meu vaticínio.
           Como já o dizia o festejado e laureado escritor austríaco, J.M. Simmel (1924-2009), “Só o vento sabe a resposta”… E certamente um dia nos fará saber!
Fontes de consultas bibliográficas

 [1] – WIENER, Jon. How we forgot the Cold War: A historical journay across America. Berkeley / Los Angeles (USA): University of California Press, 2012.

[2] Revista “Negócios”, 14/12/16 – http://epocanegocios.globo.com/Mundo/noticia/2016/12/putin-e-o-homem-mais-poderoso-do-mundo-segundo-forbes.html.

[3] La República, http://larepublica.pe/17-08-2014/la-vida-de-lujo-y-los-despilfarros-de-nicolas-maduro-y-las-hijas-de-hugo-chavez; Voz de América, http://www.voanoticias.com/a/venezuela-hijas-maduro-chavez-despilfarro/2417062.html.

[4] http://www.blogdozedefatima.com.br/2016/10/18/a-fortuna-do-lula-ja-ultrapassou-a-casa-dos-2-bilhoes-de-dolares/.

[5]http://infoblogger.es/2016/05/10/ricos-y-comunistas/.

[6] COSTAS, Ruth. O legado dos 13 anos do PT no poder em seis indicadores internacionais. In: BBC-Brasil 2016. Disponível em: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/05/160505_legado_pt_ru. Acesso em: Março.2017.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: